Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quinta-feira, 18 de julho de 2019 - 20h41
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 136 - 26 de dezembro de 2001 a 8 de janeiro de 2002
 
Fernando de Noronha
Patrimônio Natural da Humanidade

Praia do Leão: a maior do arquipélago e ponto de desova das tartarugas marinhas
 

(Foto: Divulgação)


Porto de Noronha: cerca de 50 mil turistas visitam o arquipélago por ano

Nos mergulhos, pode-se ver os
golfinhos brincando com os turistas

Mergulhador acompanha
passeio de tartaruga-verde

A 550 quilômetros da costa de Pernambuco e descoberto por Américo Vespúcio em 1503, o arquipélago, formado por 21 ilhas, é um dos parques nacionais marinhos mais cobiçados por turistas brasileiros e estrangeiros, sendo visitado aproximadamente por 50 mil pessoas por ano.

Inicialmente batizada com o nome de Ilha de São Lourenço e pertencendo aos portugueses, a ilha passou por domínio dos holandeses e franceses. Quando voltou à coroa portuguesa, o seu donatário era Fernando de Loronha e o nome da ilha acabou se transformando em Fernando de Noronha.

Com uma água cristalina, a visibilidade chega a 50 metros. Nos mergulhos, pode-se ver a colorida fauna marinha, formada de 230 espécies de peixes e 15 corais. Se você tiver sorte, poderá encontrar tartarugas-verdes e arraias.

Uma das atrações para quem gosta de mergulho autônomo é a corveta da marinha, afundada há 62 metros de profundidade na Cabeça da Sapata. Para que quem não tem prática, a praia do Atalaia na maré baixa forma a maior piscina natural da ilha.

A grande atração do parque são os golfinhos rotadores. Eles podem ser vistos por terra no fim da tarde quando partem para o mar aberto e ao amanhecer, quando eles voltam para descansar da caçada noturna. Outra forma é a avistagem de barco, pois os golfinhos acompanham de perto a proa.

Em Fernando de Noronha pode-se visitar os dez fortes construídos no século 18. O passeio é feito a pé e no percurso há construções históricas, igrejas, fortes e cavernas.

As praias do Leão, do Sancho, Cacimba do Padre e Boldró têm acesso proibido das 18h às 6h, de janeiro a junho, quando acontece a desova das tartarugas-verdes. O Projeto Tamar é uma ONG (Organização Não-Governamental) responsável pela preservação das tartarugas na região.

O centro comercial é na Vila dos Remédios, onde está o sítio histórico com o Museu da Ilha. Em Noronha existe apenas um hotel, mas a maioria das 108 pousadas domiciliares e casas de nativos oferece ar condicionado, frigobar e água quente.

Há ainda em Fernando de Noronha várias opções de trilhas, cavalgadas, caminhadas ecológicas e mergulho autônomo.


Praia do Sancho: uma das dez mais belas praias do mundo
 

Dicas de Ecoturista

Fernando de Noronha deve boa parte de sua preservação ao fato de ser ilha e estar longe do continente. O crescimento do turismo nacional, entretanto, é uma ameaça ao frágil ecossistema que a rodeia. Cruzeiros luxuosos que fazem da ilha uma escala turística, despejando nela de uma vez só bandos de turistas ávidos, impactam sobremaneira esse paraíso. Turistas estrelados que buscam em suas pousadas familiares o mesmo conforto a que estão acostumados em outras paragens acabam acostumando mal os ilhéus. Estes, no afã de diferenciar sua hospedaria das demais, instituem melhorias desnecessárias no local (como chuveiros elétricos, numa região de muito calor) que consomem os escassos recursos naturais da ilha. Água ali já é um grande problema.

O melhor que se tem a fazer é cair na real de que paraíso ecológico é para continuar paraíso ecológico. Para isso, os humanos têm de ser controlados e seu número limitado. E tem mais. Querem construir hotéis de luxo na ilha.

Aí é que os ilhéus vão virar mesmo camareiras e garçons, jogando toda a auto-sustentabilidade social para a cucuia. Oxalá a ilha continue sendo um paraíso distante, para que os golfinhos e as tartarugas marinhas continuem reinando por ali.


Dois Irmãos (duas rochas): lugar especial para se ver o pôr-do-sol

 
 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

202 usuários online